Brazilian Journal of Otorhinolaryngology Brazilian Journal of Otorhinolaryngology
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:494-5 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2016.10.001
Carta ao editor
Effects of perforation size on the success rate of tympanoplasty using a cartilage graft
Efeitos do tamanho da perfuração na taxa de sucesso da timpanoplastia usando um enxerto de cartilagem
Zhufang Jianga, Zihan Loub,,
a Yiwu Central Hospital, Department of Otorhinolaryngology, Yiwu, Zhejiang, China
b Xinxiang Medical University, Department of Clinical Medicine, Henan, China
Cara Editora,

Vimos por meio desta tecer algumas considerações sobre o artigo intitulado “Impacto do tamanho do enxerto de cartilagem no sucesso da timpanoplastia”, de Abdul Hameed et al.1 Nesse estudo os autores avaliaram o impacto de diferentes tamanhos de perfuração nos resultados da timpanoplastia de tipo 1. O trabalho descrito é interessante. No entanto, os critérios de inclusão e os resultados não são muito claros. Nos métodos, os autores não relatam se os pacientes com timpanosclerose foram incluídos no estudo. A timpanosclerose compromete o suprimento sanguíneo e a nutrição do tímpano, causa falência do enxerto após a timpanoplastia tipo 1. Migirov et al.2 acreditavam que o preparo adequado das bordas da perfuração, com a remoção de placas escleróticas, melhorava a taxa de sucesso da timpanoplastia em pacientes com timpanosclerose.

O estudo dividiu 50 pacientes em três grupos. O Grupo I apresentava perfurações de mais de 50% da membrana timpânica (MT); o Grupo II tinha perfurações entre 25‐50% da MT; e o Grupo III apresentava perfurações ≤ 25% da MT. Os três grupos continham 16, 20 e 14 pacientes, respectivamente.1 Nos resultados, os autores relatam: “Cinquenta pacientes foram submetidos a timpanoplastia com enxerto de cartilagem; 37 tinham perfuração unilateral, enquanto 13 tinham perfurações bilaterais. A taxa de sucesso anatômico definida como a pega de enxerto após 12 meses de seguimento entre todos os pacientes foi de 92% e quatro pacientes foram submetidos a cirurgia de revisão entre 10 a 12 meses de pós‐operatório. Dois deles estavam no primeiro grupo, com um paciente em cada grupo restante, sem diferença estatística entre os três grupos quanto ao percentual de falha”.1 Os autores afirmam apenas que 50 pacientes foram submetidos a timpanoplastia com enxerto de cartilagem, mas não explicam detalhadamente quantas perfurações foram tratadas. Se a taxa de sucesso é baseada no número de pacientes, elas foram de 87,5% (14/16) no Grupo I, 95% (19/20) no Grupo II e 92,9% (13/14) no Grupo III. Apesar de não haver diferenças significativas entre os três grupos em termos de porcentagem de falha, a taxa de sucesso no Grupo II foi 10% superior à do Grupo I.

O tamanho da amostra dos três grupos foi muito pequeno; acreditamos que as diferenças entre o Grupo II e os outros grupos teriam sido significativas se os números da amostra fossem maiores. Estudos anteriores sugeriram que o tamanho da perfuração pudesse afetar a taxa de sucesso da timpanoplastia de tipo 1 com o uso de enxerto de cartilagem.3,4 Wu et al.5 compararam os resultados auditivos em curto e longo prazos de pacientes que apresentavam pequenas e grandes perfurações do tímpano e que se submeteram, com sucesso, a timpanoplastia com enxerto de cartilagem. Não foram observadas diferenças entre o fechamento do gap aéreo‐ósseo de pequenas perfurações em curto e longo prazos (p=0,689); entretanto, uma diferença significativa entre o fechamento do gap no curto e longo prazos (p=0,029) foi evidenciada em pacientes com grandes perfurações. Assim, um número maior de amostras de pacientes com perfurações de diferentes tamanhos e acompanhamento de longo prazo é necessário em estudos futuros.

Conflitos de interesse

Os autores declaram não haver conflitos de interesse.

Referências
1
W. Abdelhameed,I. Rezk,A. Awad
Impact of cartilage graft size on success of tympanoplasty
Braz J Otorhinolaryngol, (2016),
[Epub ahead of print] doi:10.1016/j.bjorl.2016.06.005
2
L. Migirov,A. Volkov
Influence of coexisting myringosclerosis on myringoplasty outcomes in children
J Laryngol Otol, 123 (2009), pp. 969-972 http://dx.doi.org/10.1017/S0022215109005520
3
A. Monfared,C.M. Bergeron,J. Ortiz,H. Lee,K. Kamine,T. Dray
Bivalve cartilage inlay myringoplasty: an office‐based procedure for closing small – to medium‐sized tympanic membrane perforations
Otolaryngol Head Neck Surg, 139 (2008), pp. 630-634 http://dx.doi.org/10.1016/j.otohns.2008.08.007
4
S. Vaidya,J.K. Sharma,G. Singh
Study of outcome of tympanoplasties in relation to size and site of tympanic membrane perforation
Indian J Otolaryngol Head Neck Surg, 66 (2014), pp. 341-346 http://dx.doi.org/10.1007/s12070-014-0733-3
5
P.W. Wu,W.H. Wang,C.C. Huang,T.J. Lee,C.C. Huang
Comparison of short‐ and long‐term hearing outcomes of successful inlay cartilage tympanoplasty between small and large eardrum perforations
Clin Exp Otorhinolaryngol, 8 (2015), pp. 359-363 http://dx.doi.org/10.3342/ceo.2015.8.4.359

Como citar este artigo: Jiang Z, Lou Z. Effects of perforation size on the success rate of tympanoplasty using a cartilage graft. Braz J Otorhinolaryngol. 2017;83:494–5


( ! ) Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/includes_ws/librerias/html/item.php on line 1196
Call Stack
#TimeMemoryFunctionLocation
10.0002244336{main}( ).../index.php:0
20.28653500376include( '/var/www/html/includes_ws/plantilla/template.php' ).../index.php:55
30.28843533000include( '/var/www/html/includes_ws/contenidos/item.php' ).../template.php:20
40.31393542296getAutorCorrespondenciaHTML( ).../item.php:160
Copyright © 2016. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:494-5 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2016.10.001