Brazilian Journal of Otorhinolaryngology Brazilian Journal of Otorhinolaryngology
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:451-6 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.04.008
Artigo original
Can we use the questionnaire SNOT‐22 as a predictor for the indication of surgical treatment in chronic rhinosinusitis?
Podemos usar o questionário SNOT‐22 como preditor para a indicação de tratamento cirúrgico na rinossinusite crônica?
Pablo Pinillos Marambaiaa,, , Manuela Garcia Limaa,b, Marina Barbosa Guimarãesc, Amaury de Machado Gomesa, Melina Pinillos Marambaiad, Otávio Marambaia dos Santose, Leonardo Marques Gomesf
a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (Bahiana), Programa de Pós‐graduação, Salvador, BA, Brasil
b Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, BA, Brasil
c Instituto de Otorrinolaringologia Otorrinos Associados (INOOA), Salvador, BA, Brasil
d Santa Casa de São Paulo, Otorrinolaringologia, São Paulo, SP, Brasil
e Universidade do Porto, Bioética, Porto, Portugal
f Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Programa de Pós‐graduação em Otorrinolaringologia, São Paulo, SP, Brasil
Recebido 04 Março 2016, Aceitaram 30 Maio 2016
Resumo
Introdução

A rinossinusite crônica é uma doença prevalente que tem um impacto negativo sobre a vida dos portadores. O SNOT‐22 é considerado o questionário mais adequado para avaliar a qualidade de vida desses pacientes e um método muito eficaz de avaliar intervenções terapêuticas; no entanto, ele não é usado como uma ferramenta para a tomada de decisões.

Objetivo

Testar a hipótese de que o escore do SNOT‐22 pode prever o desfecho do tratamento cirúrgico.

Método

Estudo retrospectivo, longitudinal e analítico. Foram avaliados os prontuários de pacientes com rinossinusite crônica que preencheram o SNOT‐22 no momento do diagnóstico. Todos os pacientes foram consecutivamente atendidos em um serviço de otorrinolaringologia em Salvador, Bahia, de agosto de 2011 a junho de 2012. Os desfechos do tratamento cirúrgico desses pacientes foram obtidos a partir de seus prontuários médicos. A pontuação inicial foi comparada com um grupo de pacientes que não foi encaminhado para cirurgia. Todos os pacientes preencheram e assinaram um termo de consentimento informado.

Resultados

Dos 88 pacientes com rinossinusite crônica 26 evoluíram para cirurgia nos últimos três anos. Os grupos foram homogêneos quanto a sexo, alergias respiratórias e medicamentos. Os pacientes do grupo cirúrgico tinham 44,8+13,8 anos e os do grupo clínico tinham 38,2+12,5 (p=0,517). O escore médio do SNOT‐22 do grupo do caso foi de 49+19 e o do grupo controle foi de 49+27 (p=0,927)

Conclusão

O SNOT‐22 foi incapaz de prever o desfecho dos pacientes cirúrgicos com rinossinusite crônica.

Abstract
Introduction

Chronic rhinosinusitis is a prevalent disease that has a negative impact on the lives of sufferers. SNOT‐22 is considered the most appropriate questionnaire for assessing the quality of life of these patients and a very effective method of evaluating therapeutic interventions; however it is not used as a tool for decision‐making.

Objective

To test the hypothesis that the SNOT‐22 score can predict the outcome of surgical treatment.

Methods

A retrospective, longitudinal and analytical study. We evaluated the medical records of patients with chronic rhinosinusitis that completed the SNOT‐22 at the time of diagnosis. All patients were consecutively assisted at an otolaryngology service in Salvador, Bahia from August 2011 to June 2012. The outcomes of the surgical treatment of these patients were obtained from their medical records. The initial score was compared to a group of patients who were not referred for surgery. All the patients completed and signed a consent form.

Results

Of the 88 patients with chronic rhinosinusitis 26 had evolved to surgery over the last 3 years. The groups were homogeneous regarding gender and respiratory and medication allergies. The patients of the surgical group were 44.8+13.8 years old and the patients of the clinical group were 38.2+12.5 years old (p=0.517). The average SNOT‐22 score of the case group was 49+19 and the average score of the control group was 49+27 (p=0.927).

Conclusion

The SNOT‐22 was unable to predict the outcome of surgical patients with chronic rhinosinusitis.

Keywords
Nasal surgical procedures, Quality of life, Sinusitis
Palavras‐chave
Procedimentos cirúrgicos nasais, Qualidade de vida, Sinusite
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:451-6 DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.04.008