Compartilhar
Publique nesta revista
Informação da revista
Vol. 83. Núm. 5.Setembro - Outubro 2017Páginas 497-608
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Visitas
1816
Vol. 83. Núm. 5.Setembro - Outubro 2017Páginas 497-608
Carta ao Editor
DOI: 10.1016/j.bjorlp.2017.05.022
Response to the Letter to the Editor regarding “Comparison of temporalis fascia muscle and full‐thickness cartilage grafts in type 1 pediatric tympanoplasties” by Yegin et al. (BrazJ Otorhinolaryngol. 2016;82:695–701)
Resposta à carta à editora sobre “Comparação de enxertos com fáscia do músculo temporal e cartilagem de espessura total em timpanoplastias tipo 1 em crianças” de Yegin et al. (Braz J Otorhinolaryngol. 2016;82:695‐701)
Visitas
1816
Yakup Yegin, Mustafa Çelik
Autor para correspondência
dr.mcelik@yahoo.com

Autor para correspondência.
Bakırköy Dr. Sadi Konuk Training and Research Hospital, Department of Otorhinolaryngology – Head and Neck Surgery, Istambul, Turquia
Conteúdo relacionado
Braz J Otorhinolaryngol 2017;83:371-210.1016/j.bjorlp.2017.02.019
Zheng‐cai Lou
Este item recebeu
1816
Visitas
Informação do artigo
Texto Completo
Bibliografia
Baixar PDF
Estatísticas
Cara Editora,
Texto Completo

Gostaríamos de agradecer ao Dr. Zheng‐cai Lou por seus comentários valiosos e precisos sobre o nosso artigo.1 Em primeiro lugar, os principais resultados da timpanoplastia pediátrica tipo 1 são as taxas de sucesso do enxerto e os resultados auditivos pós‐operatórios. Nossos resultados indicam que a taxa de sucesso do enxerto foi de 92,1% do grupo cartilagem, em comparação com 65% do grupo fáscia temporal, respectivamente. No grupo fáscia, o gap no pré‐operatório foi de 33,68±11,44dB e no pós‐operatório, de 24,25±12,68dB. No grupo cartilagem, o gap aéreo‐ósseo no pré‐operatório foi de 35,68±12,94dB e no pós‐operatório, 26,113±12,87dB. A taxa de sucesso anatômico do grupo cartilagem foi significativamente melhor do que a do grupo fáscia (p<0,01). Não houve diferença significativa nos resultados funcionais entre os grupos fáscia e cartilagem (p>0,05). A espessura da cartilagem tragal foi medida com precisão por um micrômetro e registada intraoperatoriamente. Uma parte de comprimento regular da cartilagem tragal foi excisada e a espessura da cartilagem tragal foi medida. A mensuração da espessura foi feita pelo mesmo cirurgião (YY). Todas as medidas foram repetidas pelo segundo cirurgião (MÇ) para evitar variações entre observadores. Três medidas foram feitas para evitar discrepâncias e resultados incorretos. As mensurações foram feitas nas partes superior, média e inferior da cartilagem tragal. A espessura média da cartilagem tragal foi aceita como a média de três medidas. A espessura média total da cartilagem tragal foi 0,693±0,094mm no sexo masculino e 0,687±0,058mm no sexo feminino. Que seja de nosso conhecimento, o presente estudo é o primeiro estudo de mensuração da espessura da cartilagem tragal na timpanoplastia pediátrica.2

O Dr. Zheng‐cai Lou aponta que “revisão retrospectiva” e “alocação aleatória” sejam coisas contraditórias, comenta sobre o desenho de nosso estudo. A observação está correta. Mas, na discussão, a explicação dessa condição foi colocada em destaque. Honestamente, não há consenso sobre a seleção de materiais de enxerto para timpanoplastias; depende inteiramente da experiência e das preferências do cirurgião. Em nossa clínica, a seleção de materiais de enxerto para timpanoplastias pediátricas depende inteiramente da experiência e preferências do cirurgião. Isso resulta em uma alocação aleatória por parte dos cirurgiões, com o uso de enxertos com fáscia do músculo temporal ou cartilagem tragal. A seleção do material de enxerto em geral não é objeto do nosso desenho de estudo. Portanto, para essa condição, não houve contradição. Imaginamos que o Dr. Lou poderia nos entender melhor após uma avaliação mais cuidadosa. Concordamos com a necessidade de futuros estudos prospectivos com controle aleatório e que um maior tamanho da amostra e maior tempo de seguimento são necessários para comparar os resultados anatômicos e funcionais entre vários tipos de cartilagem.

Em relação aos outros comentários sobre os critérios de exclusão, gostaríamos de agradecer por nos chamar a atenção sobre o fato. O tecido de granulação pode afetar o sucesso das timpanoplastias pediátricas, mas nenhum estudo relatou essa condição. Honestamente, no prontuário de nossos pacientes, não há registro a respeito de tecido de granulação em timpanoplastias pediátricas.

Embora os dados sobre a seleção de material de enxerto para timpanoplastias pediátricas continuem a aumentar, não há, por enquanto, consenso.3 No entanto, futuramente também planejamos comparar os resultados anatômicos e funcionais de vários tipos de enxerto (de pericôndrio, de fáscia, de várias cartilagens [conchal e tragal]) e diferentes espessuras de cartilagens em timpanoplastias pediátricas.

Conflitos de interesse

Os autores declaram não haver conflitos de interesse.

Referências
[1]
Z. Lou
Type 1 pediatric tympanoplasties using fascia and cartilage grafts
Braz J Otorhinolaryngol, 83 (2017), pp. 371-372 http://dx.doi.org/10.1016/j.bjorl.2016.09.006
[2]
Y. Yegin,M. Çelik,A.K. Koç,L. Küfeciler,M.S. Elbistanlı,F.T. Kayhan
Comparison of temporalis fascia muscle and full‐thickness cartilage grafts in type 1 pediatric tympanoplasties
Braz J Otorhinolaryngol, 82 (2016), pp. 695-701 http://dx.doi.org/10.1016/j.bjorl.2015.12.009
[3]
M.M. Jalali,M. Motasaddi,A. Kouhi,S. Dabiri,R. Soleimani
Comparison of cartilage with temporalis fascia tympanoplasty: a meta‐analysis of comparative studies
Laryngoscope, December (2016), http://dx.doi.org/10.1002/lary.26451
[Epub ahead of print]

Como citar este artigo: Yegin Y, Çelik M. Response to the Letter to the Editor regarding “Comparison of temporalis fascia muscle and full‐thickness cartilage grafts in type 1 pediatric tympanoplasties” by Yegin et al. (BrazJ Otorhinolaryngol. 2016;82:695–701). Braz J Otorhinolaryngol. 2017;83:606–7.

Copyright © 2017. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Idiomas
Brazilian Journal of Otorhinolaryngology

Inscreva-se a Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
Política de cookies
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aquí.